'Eu gosto de viver. Já me senti ferozmente, desesperadamente, agudamente infeliz, dilacerada pelo sofrimento, mas através de tudo ainda sei, com absoluta certeza, que estar viva é sensacional.'

Agatha Christie.

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Sinusite, dengue, infecção urinária...

E eu não sei o que eu tenho, no fim das contas, deve ser virose. Só sei que eu até soro na veia tomei e ainda não tô legal. Ainda. E o coitado do Pedro ficou doente também. Eu avisei, mas ele não escuta. Menino teimoso, até parece que ele é de touro, não eu. Erm, não que eu acredite em siiignos, não, não.

Mas tem taaaaaaaaaantas coincidências! Eu sou taurina, regida por Vênus e meu ascendente é Libra, que também é regido por Vênus, me dando uma dupla carga afetiva. E o Pedro é libriano! É, eu sei. Muitas coincidências. Mas eu não acredito nessas coisas, não, não.

Erm, deixa eu ver. Tô em Nova Russas, A Millena tá aqui, joguei baralho, brinquei com o Bono... Dormi, tomei banho, comi, vi filmes.

O Pedro me deu meus dois preferidos de Natal *-* Amélie Poulain e V de Vingança. Ele é um fofinho. Teimoso, mas fofinho. Acho que vou passar o ano novo com ele. Tô feliz. Ah, Aviões do Forró vai vir aqui pra NR e tocar de graça na praça. Vou tentar convencer o Caio a ir comigo. Pelo menos engraçado vai ser. Espero que ele não alegue que está doente também. Se bem que ele tava com febre ontem...

Agora preciso ligar pra Nêm, antes que ela me deserde como a pior melhor amiga do mundo. Depois, Senhorita Brisa Alcanfôr.

Até a minha próxima crise de coragem extrema de escrever.

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Ouvindo Chico Buarque e Jay Vaquer.

Olhos Nos Olhos
Chico Buarque

Quando você me deixou, meu bem,
Me disse pra ser feliz e passar bem.
Quis morrer de ciúme, quase enlouqueci,
Mas depois, como era de costume, obedeci.

Quando você me quiser rever
Já vai me encontrar refeita, pode crer.
Olhos nos olhos,
Quero ver o que você faz
Ao sentir que sem você eu passo bem demais

E que venho até remoçando,
Me pego cantando, sem mais, nem por quê.
Tantas águas rolaram,
Quantos homens me amaram
Bem mais e melhor que você.

Quando talvez precisar de mim,
Cê sabe que a casa é sempre sua, venha sim.
Olhos nos olhos,
Quero ver o que você diz.
Quero ver como suporta me ver tão feliz.

--------

Tô tão nostálgica esses dias. A madrinha e o padrinho viajaram e fiquei sozinha com a mamãe. Eu cheguei na cozinha à tarde e ela estava assistindo Sem Censura. Eu nem sabia que ainda passava. Ela assistia toda tarde lá no Rio, no nosso apartamento, sabe? É estranho ter só ela de novo, à tarde, vendo Sem Censura. E à noite ela me dava beijinho e... Sei lá, me senti com meus 6 anos de novo. Ela cozinhou pra gente, caramba! Foi estranho. E o Pedro conheceu-a. Ele teve até pesadelo no dia anterior, coitado. Também, eu sou filha única, adotada e ainda moro longe. Eu também teria medo no lugar dele. Mas foi tranquilo, apesar de ele ficar muito tenso o tempo todo. A mamãe sempre foi uma boa sogra. Se bem que, se você parar pra analisar, quando ela conheceu o Nícolas eu já não o namorava mais. Mas isso não vem ao caso.


Tá tão bom, gente. Já são quatro meses e nem tem previsão pra acabar, como geralmente tinha. Eu não tinha vontade de namorar, queria ficar com outras pessoas, mas... Eu não me imagino sem o Pedro. Ele é tão fofiiiinho (é, a gente assistiu 'Meu Malvado Favorito', e tem essa parte no filme xP) e tão carinhoso. É estranho às vezes. Eu nem acredito muito de vez em quando. Como é que alguém pode ter tanta... sorte como eu, depois de tanto tempo?


E teve o Dia Feliz na Igreja ontem. Eu me matei, desidratei, cansei, quase caí e chorei de estresse, mas tinha uns menininhos que sorriam pra mim com tanta sinceridade... que compensava tudo. E no fim, tive aquela boa sensação de dever cumprido.


A Millena chega amanhã, a mamãe vai embora amanhã, o Pedro vem almoçar aqui, eu tenho prova do Italiano e enfim férias... Desculpa minha ausência, mas é tanta coisa... Ah, eu não fiquei de AF *______* Nem mesmo na prova da vaca da Eveline. Acredita que ela não acertou nenhum plural na prova? Corrigi todinha, sem nenhum arrependimento. E, é claro, eu já estava passada. Só ficaria de AF se ela me desse -1. HUAHUAHUAHAUH'

Tenho que ir. Tô cansadona ainda e amanhã eu tenho que estar liiiinds. :**


sexta-feira, 26 de novembro de 2010

O Rio de Janeiro... continua.

Eu sou do Rio. Eu nasci em Fortaleza, passei oito anos no interior do Ceará e hoje estou morando na capital cearense de novo. Eu morei apenas seis anos no Rio, e eu me considero extremamente carioca. Não me imagino morando lá de novo, mas eu amo aquela cidade, mais que qualquer outra no mundo, incluindo Fortaleza. É lá que eu me lembro de ter tido uma família clássica, sabe, pai e mãe.

E agora tem tanques de guerra lá, sabe. Bem, o mundo todo sabe, já que os jornais não têm mais nada de bom pra falar. E eu olho tudo isso chorando. Bem, é que eu morava na Vila da Penha, estudava no Centro Educacional Vila da Penha e agora tem uma guerra ali, do outro lado da minha rua. E eu penso que, se eu não tivesse me mudado pra cá, eu estaria ali, naquele fogo cruzado. Se meu pai não tivesse morrido, Deus, perde meu egoísmo, mas... Eu podia ter levado um tiro. E ainda tenho família e amigos lá, meu Deus, a Ana Beatriz, o Felipe, o Fábio... Eles estão lá, no fogo cruzado e eu aqui, chorando e assitindo esse terror todo.

Eu tenho muita sorte. Obrigada, meu Deus, por tanta sorte, mesmo que eu não mereça.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Strawberry Fields Forever. ♥

E nessa onda de Paul McCartney, aqui, os morangos que eu mais sinto saudade.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Thank You.

- Eu já escolhi quem vai ser a mãe dos meus filhos.
- Mas e se você mudar de ideia?
- Não vou mudar.
- Mas ainda dá pra mudar.
- Eu não vou mudar. Não dá mais.

---

- E se eu for estéril?
- Então eu engravido por você.
- Ah, por favor...
- Você sabe que eu faria isso por você.

---

- Tá tarde, você precisa ir.
- Não, eu não vou.
- Mas eu fico preocupada.
- Você não entende?
- O que?
- Eu quero ficar com você o máximo de tempo que eu puder. Por favor, deixa eu ficar.

---

- Eu deixo.

---


My tea's gone cold | Meu chá esfriou
I'm wondering why I got out of bed at all | Me pergunto "por que mesmo levantei da cama?"
The morning rain clouds up my window | As nuvens de chuva em minha janela
And I can't see at all | E não consigo ver nada.
And even if I could it'd all be gray, | E, mesmo que pudesse, tudo estaria cinza
But your picture on my wall | Mas seu retrato na parede
It reminds me that it's not so bad | Me faz lembrar que não é tão ruim
It's not so bad. | Não é tão ruim

I drank too much last night, got bills to pay | Bebi demais ontem à noite, tenho contas a pagar
My head just feels in pain | Minha cabeça dói tanto
I missed the bus and there'll be hell today | Perdi o ônibus e o dia será um inferno
I'm late for work again | Estou atrasada pro trabalho de novo
And even if I'm there, they'll all imply | E, ainda que estivesse lá, todos insinuariam
That I might not last the day | Que eu não vou ficar nem mais um dia
And then you call me and it's not so bad | Mas daí você me liga, e não está tão ruim assim
It's not so bad. | Não é tão ruim.

Push the door, I'm home at last | Empurro a porta, finalmente chego em casa
And I'm soaking through and through | Estou encharcada, completamente molhada
Then you handed me a towel and all I see is you | Então você traz a toalha e tudo que vejo é você
And even if my house falls down now | Mesmo se minha casa desabasse agora,
I wouldn't have a clue | Eu não perceberia
Because you're near me and... | Porque você está perto de mim e...

I want to thank you | Eu quero agradecê-lo
For giving me the best day of my life | Por me dar o melhor dia da minha vida
Oh... just to be with you | Ah, simplesmente estar com você
Is having the best day of my life... | É ter o melhor dia da minha vida

sábado, 6 de novembro de 2010

Sim, o Luquinhas!

Dã. Eu fiz a postagem anterior pra falar no Lucas e nem falei. Quero dizer, não falei exatamente como ele é meu bebê.

Meu Luquinhas é um fofo. Eu me lembro que ele não falava muito, mas eu falava com basicamente todo mundo no primeiro ano porque eu era líder de sala (-q) e ele era um dos que eu falava mais ou menos. Ele era do grupinhos dos rockeiros fofos. Nas férias de julho, aliás, na volta delas, no primeiro dia de aula, eu entrei na sala e estavam ele e o João Feitosa, meu 'namorado' na época. O Lucas estava entre nós. Aí eu ia passar dando um rápido 'oi' e agarrar o John. Mas ele meio que fez que ia me dar um beijinho no rosto e eu fui. E tipo, ele me deu no outro lado também.

Foi aí que eu me apaixonei por ele.

No segundo ano, eu realmente fiquei próxima dele e dos meninos rockeiros, porque enfim, eu também sou bem hardpunk. Ele sentava ao meu lado e eu puxava assuntos idiotas até ele me mandar calar a boca. Ele NUNCA me negou um abraço, pelo tempo que fosse. Ele sempre responde às minhas perguntas com a mais pura sinceridade.

- Luquinhas, eu te amo. Você me ama?
- Não.

Ele nunca me iludiu. E ele gosta de mim, ou pelo menos não me odeia. E às vezes ele puxa assunto comigo no msn. E ele até sorri de vez em quando, quando eu peço. Eu dei pra ele uma mochila com uma Natasha dentro, e ele demonstrou toda felicidade do mundo. E ele fica lindo e simpático quando bebe. Meio saidinho demais e, infelizmente, nunca pro meu lado. Geralmente é pro lado do Pedro. -q

Enfim, quando me perguntam quem diabos é o Luquinhas, eu sempre falo que é meu melhor amigo. O que é uma besteira, porque o meu melhor amigo sempre foi o Pedro Matheus. Mas é que demora muito explicar que o Lucas sempre foi a pessoa mais sincera do mundo comigo e ele é, talvez, a única pessoa do mundo que eu não espero que corra atrás de mim pra manter o contato. Até porque ele nunca vai fazer isso.

Mas, de verdade, eu o amo. Muito.


sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Natasha.

Anteontem foi aniversário do Zé. Eu não esqueço aniversário das pessoas que eu amo, mas às vezes eu não consigo falar com elas, sabe? Então, Zé: Eu te amo e não te esqueci, porque eu nunca te esqueço. Eu ainda tenho aquele pendurocalho da Disney que você me deu pra eu por no meu celular e eu tenho aquela foto que eu tirei com você no Som da História do ano passado, e aquele foi o dia mais feliz da minha vida até hoje.

Ontem foi aniversário do Lucas. Eu e o Pedro demos a ele um presente. Eu, uma mochila nova - já que a dele é a mesma desde o primeiro ano e está toda rasgada - e o Pedro, um litro de Natasha. Ela é uma vadia que o Lucas está apaixonado. Tsc, tsc. Ele ficou muito agradecido pelos dois, acho que igualmente. Fomos para a Celly, ficamos de meio dia até umas duas da tarde conversando abobrinha, eu, Pedro Matheus, Xororó, Nicólas, Luquinhas, Heron, Ravi, Jojô e até o Ramon. Depois que o Pedro foi me deixar na parada, ele me disse que a Alice chegou e ficou com eles até a noite.

Fui pra minha primeira aula de risotos ontem. Não dou detalhes porque eu vou postar os detalhes no Blog da Gastronomia, da qual sou moderadora. Visitem o Comilança!

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Copilação [e algo mais] de um comentário para minha Tangerina.

Tav atualizando minha vida hoje. Tirei cerca de quinze roupas do guarda-roupa para doação, arrumei o armário, organizei minhas bijuterias, separei minhas roupas por cores - é, eu sou organizada - e resolvi me atualizar dos blogs dos meus amigos lindos.

Eis que, de repente, eu me pego lendo um dos blogs que eu mais me identifico, o da Morg, minha filha tangerina. Uma postagem enorme sobre raiva de preconceito. Ops, que coincidência, né? Claro, ela foi bem mais abrangente e também falou sobre bullying, como no fim dessa minha postagem. Bem, mãe e filha, sabe como é.

Eu morro de preguiça de comentar em postagens, mas dessa vez eu o fiz. Escrevi assim:

''Filha linda, você quer que a mamãe bata neles todos?
- você sabe que eu posso ser bem... cruel.
HAHUHAUHUAHUAHU'

Enfim, preconceito me deixa puta. Bullying é... foda. Sabe, até sua mamãe gostosa aqui já sofreu isso -q

Todo mundo tem algum tipo de preconceito, de implicância e isso inclui pessoas de cabeças abertas, como eu, você, e sua mamis de verdade. É uma questão de bom-senso, de não discutir a ponto de brigar. Não é bem fechar os olhos, mas... tem umas pessoas que colaram os próprios olhos com superbonder e fizeram isso porque queriam. Não cabe a nós fazer uma microcirurgia pra abri-los. O máximo que se pode fazer é deixá-los com inveja de nós, as pessoas que realmente enxergam.

E eu tava falando sério quando falei em bater.''

É isso, não sei mais. Cansei de ler que você se acha feia, gorda, que todos pisam em você, fora seus amigos, etc, etc. De verdade, encheu o saco, esse negócio de auto-piedade. Cansei de falar o quanto eu te acho linda, e quantas pessoas no mundo concordam comigo. Tudo que você precisa saber, você já sabe. Você sabe o quanto eu te amo e o quanto você é especial para mim. E pra todo mundo que te conhece.

'O Pybore diz que o que você enxerga nos outros tem de sobra em você. Não concordo totalmente, mas tem um fundo verdadeiro nisso, não é?'

Você escreveu isso, Morg. Se você vê os outros lindos, populares e etc, é porque você também é. E não tô falando isso só pra te animar, porque eu não puxo saco de ninguém - fora o Artur Henrique e o Paulinho, professores mais lindos do mundo *-*

Você é linda SIM. E é sua mãe que tá falando. Ponto final.

(Apesar de sumida, pode me requisitar para abraços e conselhos em geral, afinal, mãe é pra isso.)


Te amo, minha linda tangerina ruiva.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Osso Duro de Roer.

Fui ao dermatologista, mostrar todas as minhas perebas. Fiquei rindo e conversando com ele uma hora, até a atendente dele ligar dizendo que tinham outros perebentos esperando. O Dr. Luís Henrique é meu dermatologista desde pequena, e ele é um dos meus médicos prediletos.

Também fui ao Iguatemi hoje. Ver Tropa de Elite 2.

Antes disso, eu e a Madrinha fomos comprar sapatos. Tem uma coisa sobre meus pés... Eles são gordos. Na minha opinião, nenhum pé gordo fica bem em nenhuma sandália, a não ser uma, que eu uso desde 2007 e está entrando em decomposição. Eu ando meio desesperada por causa disso, não sei o que vai ser da minha vida quando eu tiver que jogá-la fora.

Eu fui, na maior boa vontade, comprar uma sandalinha nova. Bem, tem outra coisa que eu não falei sobre meus pés. Eles gostam de ficar descalços, sempre que podem. Quando eu era criança, eu nem entrava em sapatarias, era contra meus princípios. Mas eu tenho 18 anos, pelo amor de Deus! E sou mulher. Eu deveria gostar de comprar sapatos, muitos deles. Mas nenhum é confortável, nenhum fica bonito, nenhum é... A minha sandalinha de borracha velha, saca?

Eu acabei comprando uma sandália de salto bem bonita, acreditem, depois de provar cinco pares. Coitado do vendedor. Ah, uma última coisa sobre meus pés. Eles odeiam sapatilhas. Mas eu dei um basta e comprei uma também. Nem que eu tenha que colar no meu pé, eu vou usar. Chega de traumas por causa desse pé.

Comi no não-sei-o-que King. O da coroa. Eu prefiro o molho especial do Mc Donalds, e recarregar refrigerante não é uma vantagem lá muito grande pra mim. Eu sinto vontade de fazer xixi na hora do filme, ae eu não me concentro no filme, só no xixi.

Mas nem que eu quisesse eu teria me desconcentrado. Definitivamente, assistam, quem não assistiu. Tem sangue, bala, violência, mas é mais que isso. Tem verdade. E filmes assim não podem ser tachados como 'mania de brasileiro falar de violência'. É acima disso. Não é um filme brasileiro. É um filme do Brasil.


sábado, 16 de outubro de 2010

Ops.

Erm. Eu tava de TPM, ignorem a postagem anterior.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Privacidade.

É o tipo de coisa que deveria ter sido inclusa nos dez mandamentos. Darás privacidade aos outros assim que solicitado. Eu não faço nada de mais no computador, diferente dos meus amigos que vêem aqueles filmes 'exóticos' da internet. Eu só quero ver minha colheita feliz. Eu só quero escrever nesse blog e no da Gastronomia UFC. Eu quero conversar com meus amigos que falam palavrão e que falam sacanagem, sem ninguém ao meu lado. É pedir demais?

Parece que sim. Minha casa foi invadida. Estou acuada. Perdi meu quarto. Meu computador em uso integral. Até a paz eu tô perdendo. Deus que me perdoe, mas eu detesto esse tipo de coisa. Casa cheia demais só é bom em casa de praia ou em festinha. Casa cheia demais em qualquer outra situação é desconfortável. O banheiro é dividido com estranhos. É horrível, sabe? Eu tenho mais ciúme do meu banheirinho do que do meu namorado.

E ele sabe disso.

Meus primos nerds que moram em Sobral City e vieram fazer provas no Colégio Militar e no Farias Brito. Vejam bemn, eu os amo. Mas eu sou filha única, o que subentende-se que eu sou feliz. O bom de ser filha única é justamente ter um pouco mais de PRIVACIDADE! Eu tive que expulsá-los do quarto pra poder escrever em paz! Poxa. Eu não tenho irmãos e sempre fui feliz assim. Por mais que seja temporário é desesperador. Primos são bons, porque você se diverte com eles, e quando enche o saco cada um vai pra sua respectiva casa.

MAS SE ELES DOMEM NA SUA CASA, ELES VIRAM IRMÃOS AUTROMATICAMENTE, ENTÃO PERDEM A VANTAGEM DE SER PRIMOS. PIOR: VOCÊ NEM PODE BRIGAR COM ELES PORQUE ELES SÃO VISITA E OS PAIS DELES ESTÃO VENDO.


Mas eu já tava superando até. A risada do Bruno me faz muito bem. Só que chegou a Sofia. E quando junta dois mais velhos e um mais novo acontece... aquilo. Explicando: Eu sou a prima do meio. A mais nova dos mais velhos e a mais velha dos mais novos. Eu sempre fui discriminada pelos mais velhos, por isso simpatizo com os mais novos. E quando eu vejo um mais velho discriminando o mais novo eu fico PU-TA. Sério. Eu dou cada cagaço nos mais velhos (que graças a Deus, são mais novos/fracos que eu hoje em dia) que chega eu me tremo de raiva. Tremo mesmo de raiva. É a injustiça mais injusta que existe.

E agora, o Bruno quer ficar perto de mim, mas eu tô justamente escrevendo sobre como é inconviniente ter alguém do seu lado quando se escreve, portanto, tenho que expulsá-lo delicadamente com um leve grito: 'MADRINHA,TIRAELEDAQUI'. Mas não é porque ele é mais novo, é porque ele já sabe ler.

Tudo bem, eu só tenho que aguentar até domingo. Vai passar. Hoje à tarde eu vou pra casa do Pedro, ser feliz lá. Tá ótimo. O Arthur, irmão dele, é muito legal. Tem o Aquiles, cachorro dele, que tem uma leve quedinha por mim. Os pais dele são engraçados. Tem a Raquel, a Bel, a Leka e a Dênia. Enfim. Lá eu desopilo, ainda mais depois da aula de ontem.

Foi no frigorífico. E eu tô com vontade de comer carne até agora.

Da esquerda pra direita: Marcos, Álefe, Eveline (professora), Eu, Joyce, Fernanda (best), Bruno Mavignier, Dani, Paulinho (professor predileto), Clarisse e Robson (futuro professor).

P. S.: Se você clicar na foto, ela fica maior, só pra avisar.

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Dalila para Presidente.

Esse ano não tem lá muitos candidatos bons, sinceramente. Ontem assisti ao debate dos candidatos à presidência, ou pelo menos, tentei. Foi aula prática e eu tava meio enjoada - não, não tô grávida, você também ficaria enjoado se passasse tanto tempo dentro daquela cozinha sem exaustores - e com sono e tal. Dormi no último bloco. Nem sei porque tava assistindo, já decidi meu voto mesmo. Mas sei lá, é divertido.


Veja o Plínio do PV! Meu Deus, eu fui comunista um dia. =O Gente, que povim sem noção. Afemaria. Não pagar dívida externa, pelo amor de Deus. A Argentina tá na merda por causa disso. Não que eu ache ruim a Argentina ficar na merda, claro. Mas sei lá. Dar dinheiro pra todo mundo vai dar uma puta inflação! E socialismo ou dá em ditadura ou dá em merda. Ele é muito sarcástico, e isso tornou o debate bem mais animadinho ;D Aquela cassetada no Serra dos impostos foi foda (H)

O que me leva ao Serra e à sua companha hipocondríaca. Os velhinhos doentes devem gostar dele, pelo menos. A mãe dele também. Mas aquela cara de Dráuzio Varela me enjoa um pouco. E ele é direita demais pro meu gosto também. E paulistas não gostam de nordestinos, então que se foda.

Tem a Marina, coitada. Talvez ela seja uma mártir daqui há uns anos, como o Lula foi, mas, por enquanto, ela precisa se nutrir um pouco pra poder se aguentar no palanque. A mulher não tem força nem pra falar direito, me dá uma gastura. Daqui há uns anos eu vou votar nela, mas não agora.

Meu voto é da Dilma mesmo. Só o fato de ela ter sido torturada e não ter enlouquecido, já é de se aplaudir. Algumas coisas que o Zilfran me disse ano passado também me influenciaram bastante. Mas o que interessa é que eu ri bastante ontem, porque ela só vai dar continuidade ao que o Lula tá fazendo. Ou seja, ela não vai fazer nada. Só continuar o que tá sendo feito. Deve ser muito deprimente acordar e saber que as pessoas votam em você por causa de um 'sapo barbudo', como diz o vovô. Mas enfim, eu gosto do Lula, independente do que o meu avô ache.

Se a Dilma aprovasse uma lei de colocar buzinas m carrinhos de supermercados, eu juro que votava nela com todo o fervor õ// O que? Vocês nunca perceberam como as pessoas são insuportáveis no trânsito supermercadal? Abandonam os carrinhos, saqueiam os abandonados pra não precisar ir à prateleira, atropelam canelas indefesas...

Alguém tem que olhar pra isso.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Para minha filha mais velha.

Eu sei que sou uma vadia por não ter postado isso antes.


Sabe, eu não esqueci seu aniversário. Pelo contrário. Eu só... sou extremamente preguiçosa. Eu sempre me acomodo, sabe? Não é uma coisa que eu me orgulhe ou que eu faça de propósito. Eu simplesmente não consigo manter relações à distância, com raríssimas exceções. E eu me culpo muito por isso.

Acontece que eu não quero falar nisso agora. Eu quero falar em você. Não me lembro de como me tornei sua mãe, mas lembro da primeira vez que eu te vi. Você estava rindo alto com alguns amigos, se não me engano com a Annah Maria e outros que eu não lembro, na fila da tesouraria. Eu tava com a Palloma e ela olhava com uma cara de 'anh?!' pra mim enquanto eu ria. Depois teve a parada da caneta, pra alguma promoção relâmpago. Depois a gente foi apresentada oficialmente, e aí... Bem, até hoje.

Sabe, eu te dei um presente no seu aniversário. Um espelho. Eu disse que ia dar uma carta pra você, explicando tudo, mas sabe, eu tenho preguiça. Eis aqui toda uma postagem, só pra você. Não que seja muita coisa, mas ultimamente escrever tem sido mais... difícil. Enfim, eu te dei um espelho, Hildinha, porque você não imagina o quanto você é linda. Não só por dentro. De vez em quando, eu te via se escondendo de fotos, de filmagens, de pessoas... Sabe, você tem que mostrar pra todo mundo você mesma. Porque você é linda e incrível. E sua felicidade é a minha.

A noite do níver foi incrível, eu já tinha me esquecido das suas histórias intermináveis e hilariantes. Obrigada por existir na minha vida, por ser essa possoa maravilhosa e por não desistir de mim.

Da sua mãe te ama muito e pra sempre,

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Preguicite Aguda.

Sempre achei isso clichê, mas só posso estar doente mesmo. Tanta coisa legal, chata e importante pra escrever aqui, e eu, dizendo pra mim mesma que tô semv tempo. Mentira, é preguiça mesmo.

Pronto, desabafei. Chega de escrever, vou dormir.

domingo, 5 de setembro de 2010

Apague a luz.

http://www.youtube.com/watch?v=XcJOXhX5lZ0

Sei lá. Acho que gosto disso. A gente viu Karatê Kid e veio pra minha casa. Ele conheceu minhas amigas do prédio e me fez rir e chorar de emoção. Droga. Eu gosto disso com certeza.

domingo, 29 de agosto de 2010

Eu em 2030.

Eu me imagino acordando antes dele. Me imagino olhando ele ressonar de leve, ou até mesmo roncar, isso não importa. O importante é que ele estaria ali, dormindo, e eu, olhando. Depois, eu levanto devagar pra ele não acordar, mas não adianta. Quando eu chego à porta, ele chama meu nome. Eu viro e sorrio, apesar da cara amassada. "Bom dia." Vou ao banheiro, onde tem um vaso cor de grafite. Saio e bato nas portas do corredor e chamo por eles dois, os dois outros homenzinhos da minha vida.

Desço as escadas e preparo o café. Eu já terei aprendido a virar os ovos daquele jeito que os chefs fazem na frigideira, sem que os ovos caiam no chão. E farei isso com muita prática. Todos três descem, os dois menores com aquela cara de sono que herdaram do pai. Todos tem os cabelos enrolados e assanhados, e todos olham pra mim com olhos cor de mel.

Eu os levo pro colégio e dou tchau pro homem que dormiu comigo. Deixo-os no colégio e vou pra redação do jornal. Sim, sou jornalista, não chef de cozinha. Deus me livre de uma cozinha. Só a cozinha da minha casa será meu reino. Escrevo a matéria sobre um novo restaurante. Sim, sou crítica gastronômica. Como e falo mal dos outros, o sonho de qualquer pessoa.

Volto à tarde e pego os meninos. Luca pula em cima de mim. Como ele está crescendo! E só tem 10 anos. Imagina como o Miguel não ficará também? Ele já é o maior da turma. Luca é muito carinhoso e Miguel bem mais sério. Luca demorou mais que o Miguel pra aprender a ler e escrever, mas os dois são muito parecidos. E bem altos pra idade. O pai deles é alto. Deram fermento junto com o Nescau pra ele na infância. E eu sei usar salto alto. Mas dirijo descalça. Sim, eu perdi o medo de dirigir.

À noite eu faço o jantar. Todo mundo fala alto, come muito e ri bastante. Ele olha pra mim com admiração, até de deixar com vergonha. E os quatro riem, porque as minhas orelhas estão vermelhas. Elas ainda ficam vermelhas e quentes. Ele morde minha orelha e eu brigo com ele, porque não gosto que peguem nela. A orelha continua sendo só minha, mesmo depois do casamento.

Conto uma história pros menores. Dou boa noite e subo pro sótão da casa, a torre do nosso castelo. E quando eu olho a lua cheia, eu sorrio e agradeço a Deus por tantas bênçãos e por tantos sonhos realizados. Eu agradeço por meus amigos que eu consegui manter e pelos familiares que ainda estão vivos. E, então, ele chega por trás de mim e me abraça, me dando um susto. Ele me faz rir contando uma piada boba e nós nos beijamos, com o mar atrás de nós.

E nós vamos dormir. Não antes de... bem, vocês sabem.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Preconceito.

MANO, EU ODEIO ESSES HÉTEROS NOJENTOS.

Pronto, falei. Não todos os héteros, meu, eu sou um deles. Uma delas. Não sei mais a regra de concordância. Tô falando dos héteros que 'não suportam homossexualidade'. Ontem eu tava no Pici/Unifor, feliz, indo pra uma das piores aulas da minha vida. Eis que sento perto de um cara filho da mãe que se dizia professor prum cara que tava ao lado dele. Tinha um menino que era gay e que estava com as amigas ouvindo É O Tchan no celular. Começou a dançar ali mesmo o Ali Babá. Foi tão engraçado e espontâneo que todo mundo que viu riu. O Hétero que estava atrás de mim começou a dizer 'Ah, eu sou pequeno mas sou homem' e 'a culpa disso é dos pais' e 'isso é uma pouca vergonha' e 'eu sou macho'.

Ah, se foder, meu. Sabe, eu conheço um monte de gays e bis, e nenhum deles jamais, vejam bem, JAMAIS falaram 'eca, um hétero'. Não porque seja 'normal' homens com mulheres, mas sim, por questão de respeito. Todo mundo se horroriza quando falam de negros, uuuuh, não pode chamar de pretinho, mas quando se trata de gay, é viado prum lado, baitola pro outro. Foi me dando tanta revolta daquele homem, que eu não aguentei e fiz minha cara mais feia pra ele. Ele ficou constrangido e mudou de assunto com o cara, falando de desrespeito que os jovens tem com os professores. Ah, meu. Mudei de lugar. Sentei perto das amigas do pobre discriminado.

Eu fico pensando. Nunca vi nenhum gay se auto-afirmando gay. Aquela coisa de 'uh, sou gay, quando eu morrer viro purpurina', a não ser de brincadeira. Mas muitos héteros, especialmente homens, sentem tanta necessidade de tripudiar, humilhar e maldizer os gays, de se auto-afirmar 'homens', 'machos', que eu fico pensando... Pra quê? Será que eles têm alguma dúvida e tentam se convencer de que não têm tendências homossexuais?

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Ouvindo... Forfun?! (O que o amor não faz...)

Hoje é aniversário da minha mãe. Acho que as pessoas que eu conheço não sabem valorizar muitos os pais, sabe? Meu pai morreu quando eu tinha seis anos e ainda hoje eu lembro de como ele fazia mágicas pra mim. E eu moro 300km longe da minha mãe. Eu tenho uma puta assistência dos meus padrinhos aqui, graças a Deus, mas... sei lá, não é minha mãe, sabe? Eu não costumo demonstrar, mas sinto muita falta dela.

Sinto falta da Teddy também. Hoje é aniversário dela. Não tenho nenhuma grande história engraçada, mas sei que todos os momentos que eu passei com ela foram muito divertidos, e alguns mais que outros foram muito especiais. Sinto falta dela me chamando de 'Lila'. Acho que as pessoas não sabem como eu gosto de ser chamada assim. Se não me engano, por causa do meu pai também. Hoje é aniversário da minha mãe e da minha filha. Que divertido *-*

- Eu me lembro do show beneficente que a banda fez lá no FB, e lembro dela babando pelo Pedro e eu concordando com ela que ele era lindo e especial. Se eu perdesse ele pra alguma mulher, que fosse pra ela. Eu até abençoaria a união deles.

MAS NEM PENSE EM ROUBÁ-LO DE MIM, TEDDY, SENÃO FICA DE CASTIGO UM MÊS!

Amo muito você.

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Pausa do Blog.

Quase um mês sem escrever nada aqui só prova uma tese que eu formulei com o passar dessas semanas. Meu blog é a cara da depressão. Só me motivo realmente a escrever quando tô EMO e triste. Tá certo que na semana passada eu não tava lá muito feliz, mas acontece que eu não tive tempo pra sentar e escrever. Começou o RJC, e sempre é um problema ensaiar com o povo da igreja, porque eles só podem a noite. Resultado, faltei toda a minha primeira semana de aula. Convenci o Pedro a ir como encontrista pro RJC, e, para tanto, lá fui eu ligar pra mãe dele. Ela nem sabia que ele tava namorando! HAUHAUHHAUHUAHUA'

Ela foi gentil comigo, me deu umas 11 fotos pra colocar no álbum e tal. O Pedro ficou todo curioso pra saber o que era, mas enfim, ele foi bastante consciente. Bem mais maduro do que eu seria. Ela me chamou pra almoçar em família -MEUDEUSDOCÉU- no aniversário dela, que foi nesse sábado. Foi bem divertido.

O RJC foi muito bom. Sabe, emocionante mesmo. Acho que o Pedro não achou tão ruim quanto pensou que ia ser. Os pais dele foram embora antes da missa e ele preferiu ficar. Foi tão fofinho *_* Ah, véi. Eu gosto tanto dele. De verdade. Ah! Ele me deu um colar com um pingente de tartaruga de presente de um mês de namoro. Mas o que eu mais gostei foi da carta que acompanhou o colar. Eu já li uma ruma de livros, mas se eu nunca tivese lido nenhum deles e só houvesse lido uma carta dele... Ah, já valeria a vida toda.

Eu não escrevo mais aqui porque eu estou muito feliz, mesmo. É a única explicação.

Agora eu preciso voltar à vida, e lá meu vou, correndo pra UFC --'

'E eu vou estar com você feliz, triste, com raiva, de TPM, e acima de tudo, quando estiver com fome.'
Pedro Matheus.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Pausa do MEME.

Postagem ultra-rápida. É pra falar de cheiros. Sabe, meu cheiro preferido é de gasolina quando sai daquela bombinha do posto. Depois, vem o cheiro que fica na minha mão do perfume do Pedro quando a gente passa muito tempo de mãos dadas. E tem o cheiro de leite em pó. Também adoro o cheiro da minha avó de perfume francês e adoro cheiro de lençol recém-lavado. Amo cheiro de livro novo, mas cheiro de livro velho cheio de ácaros é bem melhor, pra mim, que não tenho alergias. Só a picada de mosquito. Eu nunca me incomodei com cheiro de esgoto, mas cheiro de vômito e de cocô é... Bem, são odores ruins. Odeio cheiro de banana quando eu tô viajando, dá vontade de vomitar, e aí viria cheiro de vômito, e não é agradável, sabe?

Enfim, é só pra dizer que eu tô sentido de novo cheiro de palco de madeira. E isso não tem preço.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Duas camisas.

Nossa, eu não aguento mais essa propaganda do Milionário e José Rico. Tô pensando em mudar a música que eu menos gosto. Aliás, tem uma do Roberto que eu não suporto, aquela 'Estou guardando o que há de bom em mim, blá blá blá.' O ritmo é chato. E eu esqueci o homem que eu mais detesto: Amado Batista. 'Princesa' é a música que eu mais odiei minha vida toda, então acabo de reformular uma postagem anterior.

Mas agora é uma música que me deixa triste. Acho que é a minha preferida do Erasmo. 'Do fundo do meu coração'. Se o Erasmo só tivesse feito e cantado essa música a vida toda dele, eu o amaria do mesmo jeito. Ela é ultra-fossa, e mesmo agora, que eu tô hiper satisfeita amorosamente falando, eu me sinto meio melancólica quando eu a escuto. Também tem uma do Lenine que me deixa meio EMO. 'Tudo por acaso.' Em todo caso, vão as duas. E as letras no fim.

----------------


Eu vou falar da viagem pra serra, pra Camocim, vou falar tudo, de todas as minhas férias, mas só quando eu estiver com meu PC, meu Paulo Carlos. Não gosto de nenhum teclado que não seja o dele. Postagem futura: resumão das férias, prometo.

----------------



Eu, cada vez que vi você chegar,
Me fazer sorrir e me deixar
Decidido, eu disse nunca mais
Mas, novamente estúpido provei
Desse doce amargo quando eu sei
Cada volta sua o que me faz

Vi todo o meu orgulho em sua mão
Deslizar, se espatifar no chão
Vi o meu amor tratado assim
Mas, basta agora o que você me fez
Acabe com essa droga de uma vez
Não volte nunca mais pra mim

Eu, toda vez que vi você voltar,
Eu pensei que fosse pra ficar
E mais uma vez falei que 'sim'
Mas, já depois de tanta solidão
Do fundo do meu coração
Não volte nunca mais pra mim

Se você me perguntar se ainda é seu
Todo o meu amor, eu sei que eu
Certamente vou dizer que 'sim'
Mas, já depois de tanta solidão
Do fundo do meu coração
Não volte nunca mais pra mim

Do fundo do meu coração
Não volte nunca mais...

----------------

Tudo por acaso...

 Eu sei!
Tudo por acaso
Tudo por atraso
Mera distração...


Eu sei!
Por impaciência
Por obediência
Pura intuição...

Qualquer dia
Qualquer hora
Tempo e dimensão
O futuro foi agora
Tudo é invenção...

Ninguém vai
Saber de nada

E eu sei
Pelo sentimento
Pelo envolvimento
Pelo coração...

Eu sei!
Pela madrugada
Pela emboscada
Pela contramão...

Qualquer dia
Qualquer hora
Tempo e dimensão
O futuro foi agora
Tudo é invenção...
Ninguém vai
Saber de nada

E eu sei
Por qualquer poesia
Por qualquer magia
Por qualquer razão...

E eu sei!
Tudo por acaso
Tudo por atraso
Mera diversão
Mera diversão...

Qualquer dia
Qualquer hora
Tempo e direção
O futuro foi agora
Tudo é invenção...
Ninguém vai
Saber de nada

E eu sei.

domingo, 25 de julho de 2010

Uma música que te deixa feliz.

Fácil.

Brathe, de Angels and Airwaves. Ela é uma daquelas músicas que crescem  com o passar dos segundos e, quando você menos espera, está lá, cantando bem alto 'did you knoooow that I loooove yoooooooooooooou?!'. É muito boa. Mesmo em tempos de crise, que não são o meu caso.

Ando nas nuvens ultimamente e me sinto um pouco envergonhada por não agradecer mais como eu fazia. Acho que nem rezar mais eu rezo desde que eu vim pra NR. Mas tá acabando as férias e tudo vai voltar a ter as cores e a felicidade de sempre. Ou, pelo menos, as que estavam começandoa reaparecer.

Namoro com o Pedro, peça no RJC, aulas práticas que vão começar, possível fiscalização no Farias Brito. Acho que tudo está se reajeitando.

---------------------

http://www.youtube.com/watch?v=RGwQJbQc46E

Breathe

A blue-black shade of love, sent from above.
My hands are tied, two worlds alone, and this I know.
Your breath's like wine, and just like clouds, my skin craws.
It's so divine, the sky it glows with fields of light.


Did you know that I love you?
Come and lay with me, I love you.
And honestly, I love you.
You make me feel alive,
And I'll love you until the end of time.


My hands shake clasped with fear as you come near.
To say goodnight, just like a dove, a peaceful sign.
To help us by as you come in, let this begin.
Stars fall like dust, our lips will touch, we speak too much.


Did you know that I love you?
Come and lay with me, I love you.
And honestly, I love you.
You make me feel alive,
And I'll love you until the end of time.


Did you know that I love you?
Come and lay with me, I love you.
And honestly, I love you.
You make me feel alive,
And I'll love you until the end of time.


I got a lot to say, if you will let me.
It's always hard when you're around me.
But here right now there's interest in your eyes.
So hear me out and hear this the first time.


That I love you.
(Come lay with me.)
I love you.
(Honestly.)
I love you.
(You make me feel alive.)
I love you,
Until the end of time.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Shrek Para Sempre.


Ah, tem a Princesinha. Todo mundo pensa que ela é indefesa e que vive triste presa no castelo, mas na verdade ela é muito forte e... nojenta. Aí ela conhece o ogro. Ele não gosta dela a princípio, mas aí ele é o único que  percebe que ela não é a princesinha que todo mundo pensa que ela é e acaba gostando dela. Qualquer um pensaria que ela era daquele jeito pra agradar o ogro, mas não, ela era exatamente assim. Aí eles deram o beijo de amor verdadeiro e ela virou uma ogra como ele. Mas ela já era uma ogra desde que o conheceu, talvez até antes, mas não queria aceitar, porque ela foi feita pra um príncipe. Mas por ele ela viraria ogra, com ou sem maldição. Não porque ela mudaria pra ficar com ele. Mas porque eles eram iguaizinhos por dentro.

Não, não tô falando do filme. Sacou?

~ And I'm a Believer.

Ah, o Meme. Segundo dia. Bem, uma música que eu menos gosto. Acho que é aquela chatinho do Bieber, Baby, baby, baby, oh. Sabe? Ela enjoa. Também não gosto daquela Umbrella. Ela, ela, ê, ê. Fico entre as duas.

NÃO, JÁ SEI! EU ODEEEEEEEIO AQUELAS QUE TOCAM NA LAN HOUSE DE NOVA RUSSAS PERTO DA MINHA CASA. MEU DEUS! 'Quem é o gostosão daqui?!' HUAUHAHUUHA'

Decidido. 'Quem é o gostosão daqui?' é a música que eu menos gosto.

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Meme Musical.

Durante 30 dias, postar a música correspondente ao que é proposto.

Dia 01 - Sua música favorita
Dia 02 - A música que você menos gosta
Dia 03 - Uma música que te deixa feliz
Dia 04 - Uma música que te deixa triste
Dia 05 - Uma música que te lembra alguém
Dia 06 - Uma música que te lembra algum lugar
Dia 07 - Uma música que te lembra alguma ocasião
Dia 08 - Uma música que você conhece a letra de cabeça
Dia 09 - Uma música que você poderia dançar
Dia 10 - Uma música que te faz dormir
Dia 11 - Uma música da sua banda favorita
Dia 12 - Uma música de uma banda que você não gosta
Dia 13 - Uma música que você preferia não gostar (aquelas músicas que você ouve, gosta, e pensa WTF? [2])
Dia 14 - Uma música que ninguém acreditaria que você gosta
Dia 15 - Uma música que te descreve
Dia 16 - Uma música que você amava e agora odeia
Dia 17 - Uma música que você ouve com frequencia no rádio
Dia 18 - Uma música que você deseja ouvir quando liga o rádio
Dia 19 - Uma música do seu CD favorito
Dia 20 - Uma música que você ouve quando está bravo
Dia 21 - Uma música que você ouve quando está feliz
Dia 22 - Uma música que você ouve quando está triste
Dia 23 - Uma música que você quer ouvir no seu casamento
Dia 24 - Uma música que você quer que toquem no seu funeral
Dia 25 - Uma música que te faz rir
Dia 26 - Uma música que você consiga tocar em algum instrumento
Dia 27 - Uma música que você desejaria saber tocar em algum instrumento
Dia 28 - Uma música que te deixa mal
Dia 29 - Uma música da sua infância
Dia 30 - Sua música favorita nessa época no ano passado

Hoje é o dia 1. Complicado isso de música favorita, porque tem milhões de estilos musicais diferentes. Eu amo, por exemplo, 'All You Need Is Love', dos Beatles, mas tem 'Pretty Fly' do Offspring, e tem também 'Tristes Versos', da EnVerso, e não posso esquecer de 'These Walls' do Dream Theater... Mas sem pieguismo e tal, minha música predileta, de todas mesmo, no quesito melodia, arranjo, letra e significado, é o Hino Nacional Brasileiro. Ah, vai, é lindo, véi. Melhor que o 'salve a nossa rainha' da Inglaterra. Bem melhor.

Lila, com prazer.

Droga, nunca me apresentei, mesmo com quase cem postagens. Acho que tá na hora.

Eu sou real, vivo com a cabeça na lua, com música nos ouvidos e coração na boca. Tenho defeitos, mas tô sempre em busca da perfeição, sabe-se lá como. Eu não sei disfarçar. Eu sou humana. Me divirto até sozinha, às vezes não sei o que quero, mas convenço qualquer um de que sou a pessoa mais decidida que existe. Eu amo, eu choro. Eu já gritei de felicidade, eu já corri pra não deixar alguém chorando. Várias, inúmeras vezes. Eu me acomodo mais fácil do que você pode imaginar. Eu já precisei de um ombro amigo e não tive, por esconder meus sentimentos. Posso ler dez livros em um mês e passar todo o resto do ano lendo apenas três ou quatro reportagens da Veja. Eu sorrio pra esconder a tristeza e não dou o braço a torcer. Tenho um corpo bonito, mas prefiro ser adimirada pelo meu QI, que por sinal é 122. Não sei cozinhar nada além de sobremesas, o que é estranho pra uma estudante de gastronomia. Tento ser forte e tenho determinação. Não me apaixono por qualquer um, aliás, só me apaixonei uma vez. Mas me encanto por uns e outros com muita frequência. Eu converso com o espelho e sem ele. Amo minha família, não vivo sem meus amigos. Sou apaixonada pela lua e adoro me aquecer ao sol. Eu tento preservar os meus amigos e sinto falta do meu pai. Sempre preferi gatos a cachorros, mas não tenho nada contra coisinhas que me lambem abanando o rabo. Eu amo história, português, biologia, física, matemática... na verdade eu só não gosto de química. Eu não sou má, mas se mexer comigo, certamente terá que pedir perdão. Eu sempre corro atrás de quem eu amo. Gosto de rock, mas adoro dançar. Eu sei cantar, mas tenho vergonha na frente dos outros. Sim, às vezes eu não sou extrovertida. Não sou paciente, dependendo da pessoa. Acredito em Deus e na Igreja Católica, por mais estranho e fora de moda que isso possa parecer. Odeio que duvidem de mim. Sou muito para uns, pouco para outros, mas, o suficiente para mim mesma. Ou pretendo ser um dia.

Sou Dalila Rodrigues, a Cretina.


terça-feira, 20 de julho de 2010

Bono, o cachorro prodígio.

Sabe, eu tenho um cachorro, além da minha gata. Mas meu cachorro é tipo cão de guarda. Fica na coleira o dia todo e avança em qualquer não-conhecido, incluindo meus primos. Ele me ama, mesmo, adora que eu faça cafuné nele, mas desde que ele mordeu meu avô eu tenho tido meio que medo de que ele me morda também.

Vejam bem, eu gosto de gatos. Falando nisso, minha gata está inchada. Não sei mais nem se é gravidez, meu. Se for bola de pêlo tem que operar, senão obstrui o intestino. Mas eu quero falar no Bono.

Bono é o cachorro dos meus primos, Caio e Sâmia. Ele veio após a Duda, uma cadela meio feinha daquelas que parecem um rato. Ela morreu tragicamente. Pensamos que a Sâmia e a Tia Meire não iriam aguentar. Mas aí chegou à família aquela bolinha de pêlo fofinha.

O Bono era a coisa mais fofinha e manhosa do mundo quando filhote. Ele cresceu numa rapidez incrível. Agora ele pina em mim. Sabe, ele se sente MUITO atraído por mim. Afinal, eu sou uma gatinha ;D

Pois é, ele gosta de gatos. Eu sei, é estraaaaanho, mas ele tem muito carinho por gatos. O problema é que ele nunca achou um gato sequer que gostasse dele. Nem a minha, que é uma santa. E ele não se dá muito bem com cachorros. Descobri hoje, quando passeamos e cruzamos com um.

Sabe, eu sei como é isso. Gostei muito tempo de um gato que me dava patadas e corria atrás de mim quando convinha. Cachorrinhos aflitos queriam me amar, mas eu sempre cheirava o rastro do gato. Sabe, esse gato me manda mensagens hoje, dizendo que me ama. Se eu fosse uma gata, eu mandava ele ir catar coquinho. Mas eu sou uma cachorra, e sempre abano o rabinho pra ele. (?)

Espero que o Bono ache a gata ideal um dia, como eu achei meu gatinho -qq

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Turma A.

Se eu pudesse, eu faria a turma A só com as pessoas que eu mais gosto, independente de horários. Na minha lista ficariam, em ordem alfabética:

Adnilson, Álefe, Alex, Karol, Virgínia, Bruno Gualberto, Clarisse, Dalila, Débora, Edvando, Emílio, Fernanda, Hélina, Jéssica, Joyce, Luana, Matheus, Paulo, Raquel e Roberto.

Não que eu não goste dos outros, mas essa é minha turma dos sonhos. Sendo A, ou sendo B, ela seria muito gratificante pra mim. Se desse pra botar a Cindy e a Larissa aí no meio, seria ótimo. O Pedro também é um fofinho e a Bea, um amor. Claro que o Ilo seria de grande ajuda na cozinha também e o Mavignier sempre foi um anjo comigo. Ah, mas deixa esses 19 comigo que tá bom. Especialmente meus Negritos.

Meu avô tá ótimo, meio carente, mas bem. Só não vou pro SANA, e isso está me matando. Tô com saudade do Pedro. Mesmo. E do Eládio. E da Brisa. E da Nêm. E do Ed. E da Raquel. E da M2. E do Grupo. Eu não gosto daqui, eu sempre perco a paciência com a minha mãe, sempre fico trancada no meu quarto, devorando comida e livros, o mais longe que eu saio é pra ir ao banheiro... E fico numa puta depressão. O que me salva são as incontáveis mensagens que o Pedro tá me mandando à noite. E eu não vejo a hora de voltar pra ele.

Quero dizer, pra Fortaleza.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Princípio de AVC.

Meu avô passou muito mal hoje. Muito mal mesmo. Ele está em Sobral agora, fazendo uns exames. Minha mãe, minha avó, tia Eli e tio Bosco foram. E eu fiquei. A Brisa tá em Sobral. Eu não falei com a Nêm ainda. Tô na casa do Caio e da Sâmia, porque postar em Lan House, nunca mais. Foi tudo tão estranho.

Eu tava trancada no meu quarto, dormindo feliz e sonhando com o Peême - mas isso não vem ao caso - quando de repente minha mãe entrou gritando com o celular no quarto, morrendo de chorar. Eu perguntei meio atordoada 'quem tá morrendo, mah?' e ela disse 'seu avô, no outro quarto.' Dei um pulo da rede e fui ver o que tava acontecendo, porque a mamãe é meio trágica. Mas não era drama. Ele pediu pra alguém segurar a mão dele, a esquerda, porque a vovó segurava a outra. Ele gemia tão alto, meu, dava medo, de verdade. Rolou até uma vela dramática antes do médico chegar.

Quando o Doutor Scarsela - eu sei, nome estraaaanho - disse que era AVC, eu fiquei tão... aliviada. Gente, eu sei que AVC pode ter mais sequelas que infarto, mas, porra. Meu pai morreu de infarto. Dois pais morrendo de infarto é putaria.

Quando chegou no hospital, a família toda querendo entrar e as enfermeiras barrando - na verdade brigando, porque todo mundo acabou indo - e o vovô sem melhorar. Eu me desesperei de verdade. E a primeira pessoa que eu lembrei foi do Pedro. E do Sana. Eu nunca me senti tão egoísta quanto hoje. Meu avô estava morrendo, vejam bem, MORRENDO, e eu pensando se ia dar pra eu ir se ele melhorasse. Eu senti tanta vergonha que prometi a Sto. Expedito que se ele ficasse bem, eu não ia ao Sana. A coisa que eu mais queria, e os meninos que eu mais amo. Troquei isso pelo meu avô. E não me arrependo.

Quando eu terminei de rezar, eu sentia mais dor que o vovô. Chorei mais do que quando ele tava passando mal. E eu só pensava em ligar pro Pedro e pedir desculpa por não poder ir. Duas da tarde eu fiz isso. Ele me chamou de 'meu amor'. Ele nunca tinha me chamado assim. Foi o único sorriso sincero do dia todo. E eu percebi como eu preciso de um abraço dele. Nem o do Caio funcionou. E olha que o Caio César é gatz. Poxa, eu gosto mesmo dele. Não do Caio, do Pedro. Ah, eu também gosto do Caio. Enfim.

Aí vovô melhorou, mas passou mal de novo, e resolveram levá-lo pra Sobral. Não tenho notícias desde que saíram, mas eu espero que tudo dê certo. Tem que dar. Eu sempre sou a escolhida pra fazer discursos no Natal, na Páscoa, nos aniversários. Mas eu não sei se eu tô pronta pra fazer um discurso de sétimo dia. Meu Deus, me livre disso. Proteja o vovô.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Morte Às Lans.

ODEIO. ODEIO. ODEIO LAN HOUSE.

Pronto, falei. Coisa chata. Nam. Eu quero meu Paulo Carlos, com as minhas fotos e minhas músicas de fossa próprias para momentos de saudade e carência emocional. E quero mais velocidade, privacidade e definitivamente eu não quero empurrar uísque nela, pelo amor de Deus.

Tô cheia de ideias pra postar, mas não me concentro com a MERDA DESSAS MÚSICAS DE FORRÓ QUE SÓ FALAM QUE 'NÃO QUEREM NAMORAR COM NIGUÉM' E BLÁBLÁBLÁ. Todas elas falam isso, meu Deus, que falta de criatividade.

Eu não odeio forró. Não é lá meu estilo de música predileto, mas às vezes eu suporto e até danço. Mas pra escrever, definitivamente, não me inspira. Quando eu voltar, e eu não vejo a hora de isso acontecer, eu vou escrever umas 15243627526 postagens seguidas - se eu não tiver preguiça, claro.


domingo, 4 de julho de 2010

Idiota in love.

Sabe quando cai a ficha? Pois então, eu me acho muito, muito, muito, muito burra quando me apaixono. Eu já sabia, mas... Sabe quando caiu a maçã na cabeça daquele cara lá e ele descobriu a gravidade? Duvido que ele não tivesse percebido, mas a ficha dele caiu com aquela maçã.

Eu me encanto muito fácil, mas me apaixonar mesmo é um pouco mais difícil. Paixões em geral pra mim não duram muito. Mas quando eu gosto mesmo de alguém, e tomo consciência disso, me lasco todinha. Durmo e acordo pensando no bendito. Se fosse só isso, vá lá. Mas se apaixonar, pra mim, sempre foi um suplício.

E agora, então? Porque é melhor quando não sou correspondida, que eu me iludo sozinha. E quando ele me fala que sonhou comigo? E me manda mensagens quase à meia-noite? E pede pra eu não ir embora? Puta merda, não dá. Já me iludo por mim e agora me iludo por nós. Já tenho consciência, especialmente se tratando de quem se trata, de que talvez não dure. Férias longe lascam. Talvez ele vá fazer o cursinho no Ari ou no FB no segundo semestre e a gente não vai se ver à noite, no Pici. Enfim, tudo indica que não vai dar certo, e, mesmo assim, eu continuo me iludindo.

O amor é o cúmulo da burrice.

sábado, 3 de julho de 2010

Eclipse.

Ah, fiquei de alma lavada. Acho que fiquei mais feliz do que se o Brasil fosse hexa, meu. É claro que eu tô falando da Argentina, aqueles otários. Mano, aquela história do Maradona falar que o Pelé devia ir prum museu, véi. Véi. SEM NOÇÃO, DOIDO. Falar isso pra mim, logo pra mim, que nasci no dia do museu?! Véi, aquele dorgado tem medo da morte não, doido. Tem não. Ainda bem que nos museus se apreciam as mais belas e completas obras da criação humana. E ele, que precisa é de uma reabilitação?! Se foder, meu.

Hoje eu fui gravar meu nome nas minhas facas, foi tão emocionante *-* Vi o jogo da casa da Tia Meire, e a Sâmia me chamou pra ir ver Eclipse. Fomos com o Léo até o Iguatemi. Não tinha ar-condicionado no cinema. Bom, hein? Ligamos pro Caio pra perguntar aonde estava passando. Eis que aquele preto safado diz que no Via Sul estava passando às cinco e vinte. Nos tacamos até o Via Sul atrás do filme - que só tinha pra 6 horas. Apesar do Stress, foi muito divertido. E o filme é fofinho. Acho que estou propensa a achar filmes fofinhos, até mesmo os do Rambo.


E foi o pedido de casamento mais lindo que eu vi na minha vida, Edward. Não se fazem mais homens - ou vampiros - como você, só aqueles bombadões imaturos como o Jacob. Não que ele não seja interessante, claro... Mas você é pra casar. ♥

[Eu disse, não tô na minha fase não-romântica, é um problema isso. Acreditar em amor, puff, isso é pros fracos. Mas eu não tô tão forte assim, sabe?]

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Laranja Mecânica.


Eu só queria lembrar que o Brasil fez três gols e a Holanda fez dois. Um gol foi anulado e o outro foi contra, mas pra mim, o Brasil é o campeão, mesmo perdendo. Claro que é triste a desclassificação. Mas é só um jogo de futebol, e daqui a quatro anos, vai ser aqui a Copa do Mundo. O Hexa vai ser em casa. É só esperar.

Só tô triste porque o meu Tim Infinity 25 Centavos não vai ser até 2014.
---

Viajo na segunda. Vou sentir falta de Fortaleza. Eu sei que volto dia 17 e dia 22, mas mesmo assim, eu sou tão apegada a essa cidade. E às pessoas daqui, claro. Isso principalmente. Vou tentar ir à Lan lá em Nova Russas com uma certa frequencia. Eu gosto de escrever. Descobri que preciso disso.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Sobre Motocicletas e Tempo.

Eu fui visitar a Ítala. Ela é uma amiga minha de infância, literalmente. A Ítala e o pai dela estavam numa moto numa noite dessas e sofreram um acidente. Foi horrível, pelo que eu ouvi, mas eu tenho um sangue muito frio pra essas coisas, mesmo sendo a Ítala, aquela loirinha que eu vi crescer. Ela teve uma fratura exposta na perna esquerda, com perda de tecido ósseo e terá que fazer enxerto. O pai dela também quebrou a perna, mas o que fodeu foi que ele perdeu muito sangue, e quebrou a mão tentando proteger a filha, segurando a cabeça dela na hora da queda, já que ela estava sem capacete.

---

Eu adoro moto, sempre gostei. Sinto mais vontade de aprender a andar de moto do que de dirigir carro. Conversei muito com o Pedro sobre isso, ele sabe andar de moto. Me contou as quedas históricas da vida dele, e, por increça que parível, eu me sentia cada vez mais motivada a andar de moto. Caramba, é uma liberdade tão grande, né? É divertido. É como andar num carro totalmente conversível e que não fica parado em engarrafamentos. É perfeito.

---

A gente chegou ao Frotão na hora das visitas e esperamos uma meia hora. Conseguimos entrar. O elevador estava quebrado, tivemos que subir um monte de escadas. Quando finalmente encontramos o leito foi muito... Estranho. Ver a Ítala lá, deitada, com aqueles ferros na perna segurando a fratura, aquela atadura, os arranhões no braço, e até os óculos novos arranhados. Aquela menina, MENINA, que podia ter morrido em poucos segundos, ali, naquela cama, me mostrando mais força do que eu já vi na minha vida. Ela não desmaiou e não chorou. Foi quando ela começou a repassar a cena do acidente que aconteceu. Tive uma puta queda de pressão. Caí durinha numa cadeira, suei frio e não ouvia nada direito. Vista escura e tudo mais que alguém que já desmaiou sentiu sabe do que eu estou falando. Uma sensação de... Morte.

---

Conversei com o Pedro sobre isso também. Ele também teve uma queda de pressão quando ajudou a mãe agora, numa cirurgia que ela fez. Ele viu sangue saindo da sonda dela, sei lá, e quase caiu durinho. Ele concordou comigo que foi horrível. É estranho, porque eu sou quase uma açougueira sanguinária, e ele também é. Mas quando é com quem a gente conhece, com quem a gente ama... Muda totalmente.

---

Saímos de lá e tudo o que eu conseguia era pensar em como a vida é efêmera e em como eu sou fraca. Puta merda, a Ítala foi tão madura. Se fosse comigo, eu tinha morrido só de frescura. E eu me lembrei que nunca falei de verdade como eu a amava e nunca demonstrei. E eu queria dizer que eu amo aquela garota, de verdade. Quando a gente era piveta, a gente faltava se matar de brigar, mas quando eu conheci a Érica, éramos nós três. Indo na Rádio pra pedir músicas, andando de bicicleta no meio da rua, ou eu dando uma de ‘Madame Dòris’ e tirando as cartas pra elas. Até hoje eu faço isso por sinal. Eu amo a Ítala e só disse isso nos depoimentos frios de Orkut. Ela poderia ter morrido, e eu jamais me perdoaria de não dizer que eu a amava, porque eu a amo. Muito.

---

Eu acho muito feio mentir. Mas tecnicamente não existe o Mandamento ‘Não Mentir’, logo, eu posso me enganar achando que é um pecado pequeno. Mas acontece que eu mentiria mil e uma vezes só pra ficar mais dez minutos com o Pedro. Eu não me canso dele nunca. Eu o amo. E não vou cansar de dizer isso, mesmo que eu me arrependa. Porque eu percebi que não dá tempo de parar pra pensar se eu amo mesmo ou é só uma paixonite. Até porque, eu sei que não é paixonite. O que eu tô tentando falar é que eu já devia estar acostumada com perdas, mas eu não tô. Não dá tempo de não se jogar. E se eu perdesse o Pedro pra essa força que é mais forte que o amor e mais maligna que o ciúme? Não, não, eu não posso perder tempo. E eu minto, traio, roubo, mato e morro por quem eu amo. E eu amo o Pedro, assim como amo a Ítala.

A amiga mais forte, sempre.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Rockeira in love?


"And I'm somewhere in between
What is real and just a dream"

Só espero que isso seja só um sonho. Nunca me acostumei com amores que não fossem platônicos.
 
Mas se não for um sonho... Que seja real pra sempre.

terça-feira, 29 de junho de 2010

SATSUGAI NO SANA!



AH, MEU DEUS, ELES PASSARAM NAS AUDIÇÕES! ELES CONSEGUIRAM, ELES CONSEGUIRAM *_________*
MEUS BEBÊS, TÃO GRANDIIIINHOS :D

Joel, João, Pedro, Filipe e Luquinhas xP

SATSUGAI, NO SANA 2010, dia 17, sábado, às 11 horas! :D

Precisa dizer que eu vou comemorar hoje com o Pedro? (6)

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Será que eu passo?

Segurança do Trabalho: 7.8
Química Culinária: 7.9
Métodos e Técnicas de Conservação de Alimentos: 7.4
História da Alimentação: 9.0 [parcial]

Falta a Deisimer e o Sandro se decidirem e a segunda chamada da Márjory. Céus, que eu não fique de AF, não aguento mais.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Qual o nome da sua felicidade?

A minha tem dois nomes. Um começa com P e outro com M. Só isso por hoje.


'Yuunagi samidare no
Yuganda kageboushi
Kamigami no me wa sutarete
Ochiru tamashii no shimi.'

terça-feira, 22 de junho de 2010

Verás que um filho teu não foge à luta.

- Tiro de meta?
- É, madrinha, é quando o goleiro chuta, resumindo.
- Ah.

Cinco minutos depois...

- E por que foi escanteio agora?
- Porque foi o cara do próprio time de chutou praquela linha no fundo. Se fosse o outro time, seria tiro de meta. Entendeu?
- Aham.

Dois minutos depois...

- Mas de novo esse tiro de meta!
- É, foi na linha de fundo de novo.
- Mas na linha de fundo não é escanteio?
- Sim, mas só quando é o próprio time que chuta pra lá.
- Ah.
- Madrinha...
- Oi?
- Quando for impedimento, pelo amor de Deus, não me pergunta o que é.
- Tá... [5 segundos depois...] Mas por que ele deu a bola pro cara do outro time?
- Porque ele errou o passe.
- E por que ele fez isso?!
- [Tom Imapaciente] Porque quem joga futebol é burro, madrinha. Se eles fossem inteligentes, não corriam noventa minutos mais acréscimos atrás de uma bola, né?
- É, faz sentido. [Pega mais pipoca da bacia]

---------------------------


Copa do mundo é uma coisa tão engraçada quanto estressante. Além de ter que explicar tudo pras mulheres que assitem futebol de quatro em quatro anos - sim, porque homem que é homem não pergunta nada, mesmo que não saiba -, você tem que aguentar elas achando que sabem de alguma coisa. Eu não sou 'a' expert em futebol, mas tem algumas coisas que você tem que ter noção. Pelo amor de Deus, não adianta ficar xingando o Dunga, já passou. As vuvuzelas são parte da cultura do povo africano, que se lasquem seus tímpanos delicados. Eu também não gosto, mas sei lá, é questão de respeito. Eu não gosto de velhas buchudas na academia que se acham brotinhos, nem por isso quando elas passam por mim eu falo 'PELOAMORDEDEUSSAIDAQUI!' Eu assiti a goleada de Portugal na academia. No sexto gol eu estava com caneleiras de 3 quilos cada, saí correndo feito doida pra ver o replay. Eu juro que não sei como pessoas obesas conseguem, porque quando eu parei, minhas pernas diziam claramente 'você é uma filha da puta que não tem condições de correr, idiota.' Foi muito engraçado quando eu olhei pra um canto da academia e tinham umas quatro mulheres falando que o Dunga era inesperiente e que devia ter tirado o Kaká assim que ele ganhou o Cartão amarelo. Eu tenho uma teoria melhor: o Dunga é tão inteligente que não queria que o Kaká fizesse mais merda do que ele já tava fazendo - não, eu gosto nem um pouquinho do Kaká - no jogo contra Portugal, portanto, ele deixou que ele fosse expulso pra não precisar dar explicações do porquê de ele não o escolher pra titular. E nem venham com 'mas por que você não gosta dele?, ele tem uma carinha de bebê...!', porque se eu gostasse de homens com carinha de criança carente, eu era pedófila.

---------------------------

Os jogos são surpreendentes, e as mulheres, que não entendem de futebol, é que estão ganhando os bolões, porque se elas usassem a lógica, não estariam ganhando. Sim, eu sou machista, apesar de ser mulher. Claro que tem um monte de mulher mundo afora que entende de futebol - eu, por exemplo -, mas minha crítica é só pras não-acompanhadoras-do-brasileirão, que, sinceramente, é infinitamente mais emocionante e justo que a Copa do Mundo.

Renno Soares' diz (11:58):
essa Copa tem de tudo
tem ação
suspense
terror
e agora, comédia

- Renno, sobre o jogo África do Sul x França, até então, 2 a 1 para os africanos.

---------------------------

Não gosto de falso patriotismo. Quando eu uso a minha blusa do Brasil, eu sempre me estresso com um engraçadinho que diz 'Ué, mas não é Copa.' Eu sempre respondo 'Eu só sou brasileira na Copa, é?' e sempre penso 'Idiota.' Eu amo o Brasil, e amo futebol. Sem pieguismo, minha música preferida é o Hino Nacional. O Brasil tem muito que mudar, mas também tem tanta coisa pra continuar. Sem esquecer nada, sem alienação futebolística, sem narração do Galvão Bueno - que eu gosto, por mais estranho que possa parecer pra maioria das pessoas -, sem Lula, sem Serra, sem Dilma, sem vuvuzela, sem Jabulani, eu amo ser brasileira. Maior orgulho, pra mim, não há. Aqui, Os Seminovos, pra vocês entenderem do que eu falo.

---------------------------

Hoje eu vou ver o Pedro Matheus.

 

Blog Template by YummyLolly.com - RSS icons by ComingUpForAir